Terremotos interromperam ano recorde para turismo na região de Marche, no centro da Itália PDF Imprimir E-mail

Terremoto na Região de MarcheA Região de Marche, no centro da Itália, recebeu seu maior número de turistas em cinco anos até o início da série de terremotos no coração do país, em 24 de agosto.


É o que mostra uma análise da Confederação Nacional dos Cultivadores Diretos (Coldiretti), com base em dados do Banco Central italiano.

Entre janeiro e agosto de 2016, mais de 945 mil turistas passaram pela região, contra 546 mil no mesmo período de 2015.

Considerando apenas agosto, foram 236 mil, quase o dobro dos 123 mil registrados no mesmo mês do ano anterior.

A cidade mais visitada foi Ancona, com 604 mil turistas nesse período, seguida por Pesaro e Urbino, com quase 150 mil cada.

Já Macereta, atingida pelos tremores de outubro, teve cerca de 86 mil visitantes, pouco mais que Ascoli Piceno, com 78 mil, enquanto Fermo teve 27 mil. Nos oito primeiros meses do ano, o comércio na região arrecadou cerca de 278 milhões de euros, contra os 222 milhões do ano passado, o que representa um crescimento de 25%. No entanto, após a série de terremotos iniciada no dia 24 de agosto e que deixou 300 mortos, o turismo declinou.

As reservas em hotéis foram canceladas, houve muitas desistências, e a região praticamente morreu para o setor. "As previsões são desastrosas", lamentou-se a Coldiretti. (Ansa)

AddThis Social Bookmark Button