CATOLICISMO ROMANO: É preciso ter coragem para vencer o mundo! - Artigo escrito por Israel Amorim PDF Imprimir E-mail
O substantivo coragem possui alguns significados muito fortes entre eles encontramos os seguintes: Moral forte perante um perigo ou risco eminente; Bravura; Intrepidez: Firmeza de espírito para enfrentar uma situação emocional ou moralmente difícil.

O mesmo substantivo é utilizado muitas vezes na Sagrada Escritura, pois, é um elemento fundamental para que o cristão alcance a santidade, em toda a história da Igreja não existiu um só santo que fosse covarde. Primeiro precisamos ter coragem quando ouvimos o chamado de Deus, coragem para renunciar o nosso comodismo e nossos maus hábitos. Se voltarmos o nosso olhar para o chamado dos discípulos de Jesus, veremos que todos eles ao se encontrarem com o mestre não exitaram em segui-lo ao contrário dotados de profunda coragem deixaram para trás seus afazeres, suas famílias e suas vidas, de uma maneira diferente aos discípulos temos o exemplo do jovem rico que não teve coragem de abandonar seus bens materiais e por isso não conseguiu seguir seu mestre.

Depois de ouvirmos ao chamado de Nosso Senhor Jesus Cristo, precisaremos de uma porção ainda maior de coragem, pois, muitas provações, tentações e perseguições aparecerão em nosso caminho. Seguir a Cristo é se colocar contra a maré do mundo, contra os ensinamentos podres de uma mídia diabólica e destruidora de valores, contra um governo imoral, contra uma sociedade inteira sem virtudes, ou termos coragem para enfrentar esses desafios de pé e alcançar o nosso objetivo maior que é o céu ou seremos submersos e arrastados por essa maré de imoralidades.

Necessitamos de coragem para ouvir os muitos insultos e falsas acusações que se levantarão contra nós, coragem para evangelizar, coragem para anunciar a verdade ao mundo seja através de palavras ou do nosso testemunho de vida, coragem de assumir uma vocação cristã seja ela qual for, pois, tanto o matrimônio, quanto a ordem e a vida religiosa exigem renúncias gigantescas que só podem ser realizadas com o auxilio do Divino Espírito Santo, renúncias que o mundo jamais será capaz de entender. Como disse o São Paulo Apóstolo em sua primeira carta para a comunidade de Corinto: “A linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas, para os que foram salvos, para nós, é uma força divina”. (1ª Cor. 1,18).

Sem  coragem é impossível de se alcançar a perseverança e sem perseverança ninguém chega ao céu. E de onde tiraremos tanta coragem? É fácil, ela tem uma fonte primária e infalível que é o Divino Espírito Santo, pois, foi ele que ungiu os profetas, quem instruiu os apóstolos e doutores, quem conservou a pureza das virgens e inspirou os mártires a darem a vida por Cristo. Devemos clamar incansável e incessantemente o auxilio do Divino Paráclito. Entretanto existe uma fonte secundária, a Sagrada Tradição, a vida dos santos e a Sagra Escritura, é impossível de não se inspirar com tantas histórias magníficas, de homens e mulheres que revolucionaram a história do mundo com a sua coragem e determinação e se isso não for suficiente para você, então silencie, olhe para um Crucifixo e contemple a sublime coragem de Jesus Cristo que suportou silenciosamente tanta humilhação e tanto sofrimento por amor a cada um de nós.

Na liturgia do rito ordinário do dia 27 de janeiro de 2017, a primeira leitura ilustra claramente a importância da coragem em nossas vidas e ainda ressalta que a nossa coragem merece uma grande recompensa, e qual recompensa seria maior que a vida eterna? Nenhuma é claro. O Céu e a convivência com o Amado de nossa alma é a maior recompensa que a nossa coragem pode nos dar.

Por fim a leitura também usa a expressão “desertores” para se referir aqueles que abandonam a fé, e que expressão significativa, pois, ela é atribuída aos soldados covardes que fogem do campo de batalha abandonando seus companheiros para morte e para os inimigos. Em tempos difíceis como os que vivemos não podemos ser desertores, pois, existe sempre alguma pessoa que precisa de nós e se desistimos da fé certamente também ela não sobreviverá.

“Não abandoneis, pois, a vossa coragem, que merece grande recompensa. De fato, precisais de perseverança para cumprir a vontade de Deus e alcançar o que ele prometeu. Porque ainda bem pouco tempo, e aquele que deve vir virá e não tardará. O meu justo viverá por causa de sua fidelidade, mas, se esmorecer, não encontrarei mais satisfação nele”. Nós não somos desertores, para a perdição. Somos homens da fé, para a salvação da alma”. (Hb 10, 35-39).

Se você por algum motivo sente medo de cair no pecado e de se afastar do caminho de Cristo e da Igreja, não perca tempo! Recorra imediatamente ao Espírito Santo e Ele gratuitamente lhe auxiliará. Quanto mais você recorrer ao Espírito Santo, mais forte e corajoso você se tornará, da mesma forma como Ele preencheu o coração dos apóstolos em pentecostes e estes tiveram a coragem de dar a vida por Cristo e pelo Evangelho, Ele também irá preencher o seu. 

 

(Artigo escrito por Israel Amorim)

AddThis Social Bookmark Button