Itália criará certificação de origem do arroz e da massa PDF Imprimir E-mail

A Itália continua na batalha para uma indicação mais clara e obrigatória da matéria-prima dos produtos alimentares que entram no país ou que são produzidos nele. Após ter conseguido um resultado positivo em relação a leite e derivados, teve início o mesmo processo para o arroz e o grão do macarrão.

Segundo informações conseguidas pela agência Ansa, foi enviado o procedimento formal de notificação dos decretos dos ministros das Políticas Agrárias, Maurizio Martina, e do Desenvolvimento Econômico, Carlo Calenda, para a introdução na Itália da obrigação de indicar a origem da matéria-prima do arroz e do grão de macarrão vendido e consumido no país. Em um período de 90 dias, se não houver objeções da Comissão Europeia, os decretos em questão deverão ser aplicados na Itália. Em particular os que exigem a indicação do lugar de cultivo, de processamento e o de embalagem. Se essas três fases de desenvolverem em um mesmo país, por exemplo a Itália, a etiqueta poderá apresentar a frase “origem do arroz: Itália”. Já para os pacotes de macarrão, será exigido o lugar de cultivo do grão e a proveniência da semolina.

“Queremos deixar mais fácil para os consumidores saberem se a origem dos produtos é italiana. É fundamental escolher bem e principalmente escolher de modo consciente. Por isso queremos dar aos cidadãos todos os instrumentos úteis para fazer isso e é por isso que continuamos cada dia a nossa batalha na Europa no sinal de transparência”, disse Martina. Já o presidente da Confederação Nacional dos Cultivadores Diretos da Itália (Coldiretti), Roberto Moncalvo, afirmou que “finalmente será possível desmascarar o engano de um pacote de macarrão em três feito com um grão estrangeiro sem indicação, como também um pacote de arroz em quatro, após o boom das importações de países asiáticos como o Vietnã, que aumentou as exportações de arroz para a Itália em 346% em 2016”. No dia 13 de abril passado, aliás, a própria Coldiretti organizou uma manifestação em frente ao Ministério de Políticas Agrícolas pedindo proteção contra as especulações que colocam em risco o arroz italiano na Europa. (Ansa)

AddThis Social Bookmark Button