Onda tardia de frio e neve podem comprometer produção de vinho na Europa PDF Imprimir E-mail

A onda tardia de frio e de neve pode causar danos gravíssimos aos viticultores da Itália e de grande parte da Europa, informam as entidades do setor.

A região da Toscana é uma das mais afetadas da União Europeia pelo frio intenso durante o período da primavera e já acumula danos financeiros de milhões de euros.

De acordo com as organizações Copa e Cogeca, “os danos estão em torno dos 80 milhões de euros, causado pela destruição de mais de 20% da produção”. “Nas zonas do Chianti, do Chianti Classico e do Chianti Rufina, alguns viticultores perderam até 90% da produção”, informam as entidades.   


Já na França, a região da Alsácia é a mais atingida enquanto a de Champagne teve entre 20% e 25% da produção afetada. A onda de mau tempo também causou danos de cerca de 50% nas regiões em Languedoque-Rossilhão, dos Vales do Rodano e de Loire e em Bordeaux.   


Na Espanha, segundo os especialistas, são 18 mil de hectares de vinhedos atingidos por condições climáticas adversas. Também na Alemanha, as plantações sofreram com a queda das temperaturas assim como na República Tcheca e na Áustria.   


Já na Eslovênia, os danos atingem 60% da produção do vinho e na Croácia o número é ainda maior: foram danificadas entre 80% e 90% das vinhas.

AddThis Social Bookmark Button