HISTÓRIA: 150 anos da Unificação Italiana; uma homenagem a Anita e Garibaldi PDF Imprimir E-mail
Os 150 anos da Unificação da Itália é uma data importante a ser lembrada também por nós, brasileiros. Além de termos na formação do nosso povo uma grande influência da cultura italiana levada pelos colonos, dois dos grandes nomes que fizeram a unidade da Itália também lutaram por causas do Brasil. Ele italiano, ela brasileira de Santa Catarina. Estamos falando de Giuseppe e Anita Garibaldi.

Ana Maria de Jesus Ribeiro, a Anita Garibaldi, foi a companheira do revolucionário Giuseppe Garibaldi, sendo conhecida como a "Heroína dos Dois Mundos". Ela é considerada, até hoje, uma das mulheres mais fortes e corajosas da época.

Essa história começou quando Garibaldi chegou ao Brasil, em 1835. Ele lutava pela independência e pela unificação dos diversos Estados da península itálica e, por isso, estava sendo perseguido e jurado de morte. Assim fugiu para a América do Sul, desembarcando no Rio de Janeiro nessa data, período alto da colonização italiana no Brasil.

Seguiu para o Rio Grande do Sul depois de conhecer Bento Gonçalves, a quem foi visitar na cadeia, juntando-se aos republicanos da Revolução Farroupilha que lutavam contra as forças imperiais. Juntamente com o General Davi Canabarro, tomou o Porto de Laguna, em Santa Catarina, onde proclamaram a República Juliana.

Durante a Revolução Farroupilha, no Rio Grande do Sul, também conhecida como a Guerra dos Farrapos (1835-1845), Garibaldi, a serviço da República Rio-Grandense, participou da tomada do porto de Laguna, na então Província de Santa Catarina. Lá ele conheceu Anita, que a ele uniu-se e passaram a combater juntos em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Uruguai (Montevidéu) e Itália.

A Revolução acabou, muita história se passou e, em 1848, Garibaldi e Anita voltaram à Itália para combater os exércitos austríacos na Lombardia (norte da Itália) e dar início à luta pela unificação italiana.

Nessa época eles tinham 3 filhos. Deixando os filhos com a mãe de Giuseppe, na França, Anita foi à luta junto com o marido. Veio ainda um quarto filho. Mais tarde, doente, fugindo dos adversários e grávida do quinto filho, morreu no parto junto com a criança, em 4 de agosto de 1849.

Considerada, no Brasil e na Itália, um exemplo de dedicação e coragem, em sua homenagem, dois municípios receberam o seu nome no Estado de Santa Catarina. Um se chama exatamente como ela, Anita Garibaldi, o outro, Anitápolis. Além disso, muitas cidades no país possuem ruas com seu nome.

Em Roma, na colina do Gianicolo, que se debruça sobre a cidade, ela e Giuseppe Garibaldi têm dois monumentos em sua homenagem. Anita está representada em uma estátua carregando um filho em um braço e um revólver em outro. Este é também o local onde ela está sepultada.
AddThis Social Bookmark Button