Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
Documentário relembra vida e trajetória política do ex-primeiro-ministro italiano Aldo Moro PDF Imprimir E-mail

Aldo MoroHá quase 40 anos de sua morte, que serão completados em 9 de maio do ano que vem, um documentário vai retratar e mostrar a vida do ex-primeiro-ministro italiano Aldo Moro.


Ele foi sequestrado e morto pelo grupo de extrema-esquerda Brigadas Vermelhas em 1978.   


Moro, que foi sequestrado há exatos 39 anos, no dia 16 de março de 1978, era o líder da democracia cristã e um dos maiores expoentes da política italiana naqueles anos. Sua morte é alvo de várias teorias, especialmente, pelo fato do governo daquela época ter se negado a negociar com os sequestradores para libertar Moro.   


Um dos historiadores que mais estudaram o caso, o italiano Sergio Flamigni, diz que o grupo extremista foi “orientado” pela Gladio – uma rede dirigida pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para executar o crime. No entanto, a ligação nunca foi comprovada.   


Sua morte ocorreu no momento em que Moro, de orientação de centro-esquerda, havia proposto uma aproximação ao Partido Comunista Italiano.   


O corpo do ex-premier foi encontrado com 10 marcas de tiros em um Renault vermelho na via Caetani, em Roma, próximo à sede do partido Democracia Cristã.   


O documentário feito pela “Sky Arte HD”, que foi realizado pela Ruvido Produzione, escrito por Giuseppe Longinotti e dirigido por Giuseppe Banchi, tenta resgatar o valor e a importância da obra de Moro, que também foi professor e jurista, ao público mais jovem.  


No centro do longa, há o líder italiano desde quando era jovem passando pelo estadista – deixando sempre um amplo espaço para seus aspectos mais humanos. Mostra ainda toda a sua preparação e seu conhecimento cultural e sua “vocação” pedagógica, especialmente no diálogo com os mais jovens.   


Além de testemunhos de amigos e políticos da época, o documentário conta com uma vasta documentação histórica vinda com a parceria com o Arquivo Flamigni. Entre os principais pontos destacados, o longa retoma a “missão” de uma das mais importantes figuras da política italiana.   


“Melhor errarmos juntos do que ter razão sozinho”, dizia Moro aos seus pares.   


O documentário fecha com uma reflexão de Moro, retirada de seus textos filosóficos sobre o Direito de 1943 e que revelam seu pensamento moral. “Talvez, o destino do homem não é o de realizar plenamente a justiça, mas o de ter, perpetuamente, fome e sede de justiça. Mas, é sempre um grande destino”, escreveu. (Ansa) 

 

AddThis Social Bookmark Button
 
Translation by Google
Menu Principal
Principal
Colunistas - Expediente
Cantores Italianos
Catolicismo Romano
Curiosidades/Arquivo
Gramática Italiana
Geografia da Itália
Hino da Itália
Dicas Culturais
Festival di San Remo
Folclore Italiano
História da Itália
Entrevistas
Letras de Músicas
Notícias
Previdência Italiana
Receitas Italianas
Turismo na Itália
Blog do Botto
Barilla
Botto Giuseppe Lanificio
IL BIELLESE
Enquete
Qual assunto você gostaria que fosse abordado com mais profundidade pela Rádio Italiana?
 
Pesquisar
RSS Feed