Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
TRISTE REALIDADE: Crianças imigrantes vivem em condições aterrorizantes, diz órgão europeu PDF Imprimir E-mail

Crianças imigrantes vivem em condições aterrorizantes, diz órgão europeuCrianças imigrantes que chegam à Europa estão expostas a abusos sexuais e trabalho forçado e não têm acesso à educação ou a cuidados de saúde.


Algumas são colocadas em centros de detenção, em violação dos seus direitos, afirmou a organização Conselho da Europa.

As crianças estão entre os mais vulneráveis ​​dos 1,6 milhão de refugiados e imigrantes que chegaram à Europa por meio do Mediterrâneo de 2014 a 2016, fugindo da guerra na Síria e em outras partes do Médio Oriente, além de conflitos e pobreza na África.


Num momento em que a União Europeia tenta conter a imigração e reduzir cada vez mais os direitos das pessoas que procuram entrar nos países, grupos de direitos humanos têm alertado de que esta repressão corre o risco de agravar o sofrimento dos recém-chegados, especialmente as crianças.


"Muitas crianças e famílias em toda a Europa vivem em condições abismais", disse o Conselho da Europa em um relatório. "Muitas vivem em situações precárias e difíceis na Europa, vulneráveis ​​à negligência e à violência."


Cerca de 385.000 pessoas com menos de 18 anos pediram asilo pela primeira vez na UE no ano passado, de acordo com a agência de estatísticas do bloco, a Eurostat. Em 2015, cerca de 96.500 crianças desacompanhadas buscaram proteção formal no bloco.


"As crianças desacompanhadas nem sempre são identificadas, registradas e providas de um tutor. Sem um tutor e cuidados adequados, essas crianças podem estar expostas a sérios riscos de proteção, como exploração sexual, e são mais propensas a desaparecer", informa o relatório.


"Medidas práticas, como instalações sanitárias separadas por gênero, iluminação melhorada e espaços amigáveis ​​para crianças não só fazem uma enorme diferença para o bem-estar das crianças, mas também podem eliminar os riscos de abuso sexual."


O documento listou o trabalho infantil e um número crescente de casamentos prematuros forçados como outros riscos graves para crianças imigrantes e refugiadas, que também têm acesso insuficiente aos cuidados de saúde, educação, políticas de integração e informações legais básicas.


Também criticou a detenção de menores de idade, dias depois de o Executivo da UE em Bruxelas incentivar os Estados membros a considerar fazer mais isso para evitar que aqueles cujas propostas de asilo forem rejeitadas fujam antes de serem deportados.


"A falta de alternativas à detenção é um dos problemas estruturais mais prejudiciais a afetar as crianças, que precisa urgentemente ser resolvido", disse o relatório.

 

AddThis Social Bookmark Button
 
Translation by Google
Menu Principal
Principal
Colunistas - Expediente
Cantores Italianos
Catolicismo Romano
Curiosidades/Arquivo
Gramática Italiana
Geografia da Itália
Hino da Itália
Dicas Culturais
Festival di San Remo
Folclore Italiano
História da Itália
Entrevistas
Letras de Músicas
Notícias
Previdência Italiana
Receitas Italianas
Turismo na Itália
Blog do Botto
Barilla
Botto Giuseppe Lanificio
IL BIELLESE
Enquete
Qual assunto você gostaria que fosse abordado com mais profundidade pela Rádio Italiana?
 
Pesquisar
RSS Feed